Ecocrítica e Ecopoética

A ecocrítica, estudo da relação entre literatura e meio ambiente, surgiu no Reino Unido e na América do Norte no começo dos anos 90. Ainda recente, a ideia foi analisada e desenvolvida pela primeira vez por Cheryll Glotfelty, no volume de ensaios que editou, The Ecocriticism Reader: Landmarks in Literary Ecology (1996). No prefácio da obra, o co-editor Harold Fromm explica o objetivo ousado da autora: “os planos dela [Cheryll] eram ambiciosos (…): buscar um interesse em ecologia enquanto profissional em literatura e difundir a concepção de ‘ecocrítica’ na produção de uma antologia de ensaios ecocríticos”. Desde então, a ecocrítica foi desenvolvida em produções acadêmicas e literárias nos Estados Unidos, no Canadá e na Europa.

Ecopoesia é, de fato, a expressão – consciente ou não – da consciência ecológica na poesia.

Ecocrítica e Ecopoética no Brasil

Apesar de o pensamento ecológico ainda ser um fenômeno recente na América Latina, e no Brasil, especificamente, a natureza  sempre teve destaque na literatura.

Após a Semana de Arte Moderna, na década de 1920, o Manifesto Antropófago de Oswald de Andrade iniciou uma nova concepção de arte, literatura e identidade brasileiras. O propósito de repensar a cultura nacional influiu em artistas e escritores para valorizarem a natureza  e a herança da cultura indígena do país. Com isso, a conscientização sobre a importância de preservar a floresta amazônica e outros recursos naturais passou a fazer parte das produções literárias do Brasil.

Ecocriticism

Ecocriticism, the study of the relationship between literature and environment, flourished in the UK and North America since the early 1990s. It was first analyzed and developed by CheryllGlotfelty in her edited book,The Ecocriticism Reader: Landmarks in Literary Ecology (1996). In the preface to this publication, the co-editor Harold Fromm explains the daring goals of the author: “her plans were ambitious (…): to pursue an interest in ecology while remaining a literary professional, to promulgate the conception of ‘ecocriticism’ while producing an anthology of ecocritical essays”. Since then, the ecocriticism has grown in academic and literary production in the United States, Canada, and Europe.

Ecopoetics is, indeed, the expression–conscious or not–of ecological concerns in poetry.

Ecocriticism and Ecopoetics in Brasil

Although in Latin America the eco-turn still is new phenomenon, in Brazil, specifically,nature has always featured prominently in literary production.

After the Modern Art Week, in the 1920s, the Cannibalist Manifesto by Oswald de Andrade promoteda new concept of Brazilian arts, literature, and identity. The goal of rethinking Brazil’s culture encouraged artists and writers to value the national environment and the heritage of indigenous peoples. It also fostered conservation of the Amazon region and other natural resources.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s