Cultura Indígena

Cultura indígena e Literatura no Brasil

Além da floresta amazônica, o Brasil possui outra característica ecopoética única: a cultura indígena. Apesar de marginalizadas na política e na economia, as tradições ameríndias são expressivamente representadas na literatura brasileira. Na antropologia, especialistas reconhecidos como Eduardo Viveiros de Castro e Pedro Cesarino estudam a cosmologia amazônica – crenças sobre a forma como elementos visíveis e invisíveis se conectam.

Viveiros de Castro é um etnólogo americanista com experiência de pesquisa na Amazônia. Com base no pensamento dos povos da floresta sobre a percepção do universo, ele criou o termo perspectivismo para se referir “ao modo como as diferentes espécies de sujeitos (humanos e não-humanos) que povoam o cosmos percebema si mesmas e às demais espécies”. De acordo com seus estudos, diferentes etnias indígenas acreditam que a categorização de cultura e natureza não são fixas, mas dependentes do ponto de vista. O antropólogo questiona as fronteiras que separam ser humano e natureza, analisando as crenças ameríndias de que cada ser (humano ou não) do mundo enxerga a realidade a partir de uma perspectiva diferente.

Cesarino é doutor em Antropologia Social e pesquisador na área de etnologia indígena, com ênfase em xamanismo, cosmologia, tradições orais e tradução. Em seus últimos trabalhos, tem se dedicado a estudos etnográficos sobre a sabedoria de povos indígenas da Amazônia, especialmente os Marubo. Localizada no coração da floresta, a etnia segue o xamanismo, prática que conecta pessoas e espíritos através da mediação da entidade do xamã. O objetivo do antropólogo é analisar como a linguagem poética é usada na cultura ameríndia para ensinar e explicar a união entre seres humanos, natureza e divindades.

Cultura indígena e a Ecopoética brasileira

Na produção poética brasileira, Sérgio Medeiros é um dos mais eminentes autores que conecta poesia e cultura indígena. Especialista em teorias e mitos ameríndios sobre a origem do universo, o escritor utiliza crenças indígenas para redefinir o “começo” do mundo. De acordo com as lendas de alguns povos ameríndios, nós viemos das árvores e, portanto, estamos conectados com à natureza e aos espíritos. O poema abaixo foi retirado do livro Vegetal Sex (2009).

Indigenous Culture and Literature in Brazil

Besides the Amazon rainforest, Brazil has another unique cultural characteristic: a richindigenous heritage. In spite of being marginalized in politics and in the economy, Amerindians and their traditions are expressively represented in Brazilian literature. In anthropology, recognized specialists like Eduardo Viveiros de Castro and Pedro Cesarino analyze Amazonian indigenous cosmologies – the beliefs about how visible and invisible elements of the universe are connected.

Viveiros de Castro is an Americanist anthropologist withresearch experience in the Amazon region. Based on the rainforest peoples’ thoughton the perception of the universe, he has created the term perspectivismto refer to the “ideas in Amazonian cosmologies concerning the way in which humans, animals and spirits see both themselves and one another”. According to his studies, many indigenous groups believe that the categorization of culture and nature are not fixed, but dependent of the point of view. Viveiros de Castrothus questions the limits between human beings and the environment, analyzing the Amerindian beliefsabout how each person and subject in the world see reality from a different perspective.

Cesarinoholds a PhD in Social Anthropology and researches indigenous ethnology, with emphasis on shamanism, cosmology, oral traditions and translation. He has devoted himself to ethnographic studies of Amazonian indigenous knowledge, specially the Marubopeople. Located in the heart of the rainforest, the tribe practicesshamanism, a tradition that connects people and spirits through the poetic mediation of the shaman entity. His work highlights how poetic language is used in Amerindian culture to explain and teach about the union of humans, nature, and divinities.

Indigenous heritage in Brazilian Ecopoetics

In the  Braziliancontemporary poetry, Sérgio Medeiros is one of the most eminent Brazilian authors who linkspoetry to indigenous culture. A specialist in Amerindian theories and myths about the origin of the universe, he draws onindigenous beliefs to redefine the “beginning” of the world. According to Amerindian  legend, we came from the trees and are thus connected to nature and to the spirits.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s