Amazônia

Poesia Brasileira e a Amazônia

O Brasil possui um das maiores reservas naturais do mundo: a floresta amazônica. A maior floresta tropical do planeta, ela é povoada por cerca de um quarto das espécies terrestres conhecidas e concentra dois terços de todaa água potável existente na Terra. Com mais da metade de sua extensão localizada em território brasileiro, a Amazônia é parte da história e da identidade do país.

No período colonial, o investimento português em delimitar e ocupar a região amazônica iniciou o interesse na exploração de seus recursos naturais. Desde então, a abundância de madeira e animais silvestres da floresta se tornou alvo das atenções econômicas internacionais.

Contudo, após a difusão de produções literárias modernistas na década de 1920, como o Manifesto Antropófago de Oswald de Andrade, a concepção de cultura brasileira entre os artistas do país se modificou. Em 1954, os ecos do movimento modernista influiram na fundação do grupo Clube da Madrugada, em Manaus, capital do Amazonas. Movimento artístico e literário, o clube foi criado por escritores locais para questionar as limitações e padrões da literatura convencional.

Domovimento Madrugada surgiram grandes poetas como Astrid Cabral. Nascida na região amazônica e eco-ativista declarada, a escritora usa as memórias de sua infância, vivida em contato com a floresta, para construir um nova relação entre ser humano e natureza. Considerada uma das mais importantes ecopoetas brasileiras, Astrid tem seu trabalho reconhecido no âmbito nacional e internacional.

Brazilian poetry and the Amazon rainforest

Brazil has one of world’s great natural resources: the Amazon region. Also known as “Amazônia” in Portuguese, the rainforest is teeming with an estimated quarter of all known land species and two-thirds of all the fresh water on Earth. With more than half of its extension in Brazilian territory, the tropical rainforest is part of the country’s history and identity.

In the Colonial period, the Portuguese investment in delimiting and occupying the Amazon region ushered inan interest in the exploration of the rainforest’s resources. Since then, the abundance of wood and wild animals have become the target of international economic attention.

Butafter the 1920’s and theavant-garde literary writings such as Oswald de Andrade’s“Cannibalist Manifesto”, the conception of Brazilianculture among Brazilianartists changed.In 1954, in Manaus, the capital of the state of Amazonas, the echoes of the modernist movementencouraged the founding of a group who named itself Clube da Madrugada (Club of the Wee Hours).An artistic and literary association, the club was created by local writers to critique the conventions and patterns of established literature.

Poets such as Astrid Cabral emerged from the Madrugada Movement. A well-known eco-activist born in the Amazon region, Cabral uses thememories of her childhood lived in contact with the rainforest to construct a new relationship between human beings andnature. She can be considered one of the most important Brazilian ecopoets for her environmentally-centered writing recognized in Brazil and abroad.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s